Consulta de Conteúdo

  • APOIO AO INVESTIDOR

 Consulta de Conteúdo

 Consulta de Conteúdo

  • Alertas

 Consulta de Conteúdo

  • Como Tomar Uma Decisão de Investimento Sobre Valores Mobiliários?

     
     

    Nos termos dos seus estatutos, a CMC não pode aconselhar os tipos de investimentos a fazer, mas pode oferecer informação imparcial sobre os tipos de investimento e os seus riscos. É nesse sentido que aqui se apresentam alguns altertas a quem pretende investir nos Mercados de Valores Mobiliários e Instrumentos Derivados.

    A Informação é Muito Importante 

    A informação desempenha um papel fundamental no investimento em valores mobiliários. Tomar a decisão de investir, pressupõe:

    • Conhecer as características e direitos inerentes a cada um dos valores mobiliários e instrumentos financeiros disponíveis nos mercados, bem como o risco que lhes está associado;
    • Acompanhar a informação que pode condicionar a evolução do investimento, como por exemplo os principais dados sobre a conjuntura económica, as cotações apuradas em bolsa e os factos relevantes divulgados pelas empresas que emitem valores mobiliários.

    Conheça o Seu Perfil de Investidor

    Conheça bem os seus objectivos financeiros e a sua tolerância ao risco para poder escolher investimentos com níveis de risco, rentabilidade e prazo adequados ao seu perfil. Algumas das questões para as quais deve sempre obter resposta são: Durante quanto tempo quero manter em carteira o meu investimento? Se quiser recuperar a qualquer momento o dinheiro que investi, é possível? Terei de esperar muito tempo? Qual o custo que tenho de suportar? Tome nota: no Mercado de Valores Mobiliários e Instrumentos Derivados não existem aplicações com capital garantido. Só ao nível da composição da carteira de investimento é, por vezes, possível garantir a recuperação do capital investido.

    Aconselhe-se Bem

    Use o tempo que for necessário para comparar as alternativas até encontrar a que melhor se ajusta a si. Nunca invista em instrumentos financeiros que não conhece. Se não os compreende, nunca saberá se são adequados ao seu perfil.

    Aconselhe-se bem antes de tomar decisões de investimento.

    A responsabilidade final sobre a decisão de investir é sempre sua. Para evitar surpresas desagradáveis, mantenha contacto com o membro de mercado através do qual realiza os seus investimentos, determine o horizonte das suas responsabilidades e delimite a liberdade de actuação, assim como procure conhecer qual o estilo e filosofia desse profissional.

    Tenha um Plano de Investimento

    Sempre de forma coerente com os prazos em que pretende concretizar os seus objectivos, convém manter um conjunto de investimentos em distintos horizontes temporais, para poder atender a distintas necessidades à medida que se apresentem. Por exemplo, se investe em títulos de rendimento fixo, é boa prática que tenham diferentes datas de vencimento (como seja dentro de um ano, dentro de cinco anos, dentro de dez anos) Esta diversificação temporal protege contra flutuações das taxas de juro e assegura por mais tempo receitas a título de cupão (caso o investimento seja em empréstimos obrigacionistas).

    Invista para o longo prazo. Os mercados sobem e descem, mas a longo prazo costuma haver mais subidas do que descidas (é esse o registo histórico das bolsas mundiais). Saiba manter o rumo e não se disperse com as oscilações diárias das cotações. A Imprensa, os rumores e as previsões de supostos especialistas podem criar confusão e dramatismo, mas quem investe a longo prazo não precisa de adoptar acções drásticas motivadas pelos altos e baixos normais do mercado.

    Perceba Quais São Todos os Custos

    Cuidado com os custos. Compare bem as taxas e comissões de cada entidade com quem tenha de se relacionar no processo de investimento. Esses valores incidem muito na rentabilidade final do seu investimento.

    Evite realizar um excesso de operações na tentativa de "ganhar ao mercado". Hoje em dia é muito fácil realizar investimentos especulativos – comprando e vendendo a muito curto prazo através da Internet – e operar em mercados antes reservados a especialistas. No entanto, só porque é fácil não quer dizer que seja recomendável. Para actuar bem no mercado, é preciso ter uma formação muito sólida, dedicar muito tempo e esforço e dispor de boas ferramentas de análise em tempo real. Recorde que os custos de realizar múltiplas transacções diminuem a rentabilidade. De facto, um dos principais erros do investidor particular é realizar um excesso de ordens de compra e venda de valores.

    Cuidado Com as Modas

    Evite as modas e os gurus de serviço, assim como a tomada de decisões de forma emotiva. Não persiga os ganhos obtidos ontem: as rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidade futura. Ninguém sabe o que acontecerá com os mercados.

    Seja comedido e cauteloso. Se alguém lhe oferece uma possibilidade de investimento "demasiado boa para ser verdade", o mais provável é que não seja verdade. Nunca confie em desconhecidos que oferecem conselhos sobre investimentos que não foram pedidos. Se tem dúvidas sobre a seriedade de quem está a fazer-lhe uma proposta de investimento, contacte a CMC para saber se está perante um intermediário certificado. Nunca comprometa o seu dinheiro sem compreender completamente o investimento que vai fazer e os riscos associados. E lembre-se que não existe rentabilidade sem risco.

    Não Há Investimentos Sem Riscos 

    Não há investimento sem risco! É comum o investidor prestar mais atenção à promessa de rentabilidade do que às hipóteses de depreciação ou perda do que foi aplicado. Mas acredite: não há investimento sem risco!

     

    Conte Com a CMC

    A CMC desempenha um papel muito importante na defesa dos investidores, relativamente aos investimentos em valores mobiliários. Recorra à CMC sempre que achar necessário: para esclarecimentos de quaisquer dúvidas, apresentação de reclamações ou mesmo sugestões.​