Consulta de Conteúdo

  • Os Nossos Valores

 Consulta de Conteúdo

  •  Missão
     

    A missão da CMC é regular, supervisionar, fiscalizar e promover os Mercados de Valores Mobiliários e Instrumentos Derivados. É, ainda, assegurar a sã concorrência nestes mercados, garantir a legítima confiança e a segurança jurídica de todos os intervenientes e prevenir o risco sistémico, contribuindo assim para o desenvolvimento económico do País.

    Visão

    Contribuir para que o Mercado de Valores Mobiliários e Instrumentos Derivados venha a constituir-se e evolua como alternativa preferencial de capitalização e financiamento do Estado e das empresas e como veículo, por excelência, de canalização das poupanças da Sociedade para instrumentos de investimento diversificados.​

    Valores

     

    Segurança Jurídica

    A Segurança Jurídica é um valor que visa proporcionar a quem participa nos Mercados de Valores Mobiliários a certeza de que a regulamentação é cabal e de que os actos ilícitos serão reprimidos, os seus praticantes punidos e os lesados ressarcidos. Pela Segurança Jurídica garante-se a quem actua nos mercados que não ficará exposto a outros riscos que não sejam os riscos de mercado (relacionados com a incerteza quanto ao retorno dos investimentos).

    ​​A Segurança Jurídica é um dos pilares da legítima confiança que os participantes do mercado devem ter de que tudo corre de acordo com as regras pré-estabelecidas. ​

    Legítima Confiança

    A confiança deve ser percepcionada pelo mercado, gerando credibilidade. A confiança é de facto um valor essencial ao funcionamento da CMC. Quando se confia na CMC, é porque esta é considerada credível.

    O valor da confiança tem por base a convicção de que é possível prever o que é expectável esperar-se da CMC, o que desenvolve um sentimento muito positivo, porque antecipa um futuro livre de ameaças.

    A regulação e a supervisão devem promover uma base de confiança que garanta aos emitentes e investidores a certeza de que podem actuar no mercado, incorrendo exclusivamente nos riscos próprios do negócio em que pretendem participar. Especialmente o investidor de retalho – pelo seu eventual nível reduzido de conhecimento e domínio da realidade dos mercados e natureza dos diversos instrumentos financeiros – precisa de confiar na capacidade de regulação, supervisão e fiscalização da CMC, para que os riscos assumidos com a decisão de investir o sejam em sã consciência e não por influência, omissão de informação ou manipulação de intermediários financeiros.​​

    Rigor

    O rigor está relacionado com vários factores, de que se destaca a qualidade do trabalho desenvolvido por todos os colaboradores da CMC.

    Trabalhar com rigor significa fazer exactamente o que é suposto fazer-se, tendo em conta os procedimentos e os princípios éticos da instituição.

    Quando falamos em rigor falamos em desenvolver tarefas eliminando o trabalho desnecessário e os factores que possam gerar desperdício, assegurando assim que o trabalho desenvolvido é coerente com as expectativas da sociedade e das entidades reguladas.

    A CMC tem como compromisso acrescentar valor em todas as acções por si promovidas, garantindo assim a qualidade do trabalho desenvolvido, tanto para os seus colaboradores como para os seus clientes e entidades parceiras.

    O rigor gera satisfação e a garantia de um trabalho de qualidade, visando a excelência. Consolida princípios, procedimentos, metodologias, comportamentos e formas de ser e estar. O rigor cria hábitos de trabalho eficazes e eficientes e reforça a certeza na concretização dos objectivos. 

    O rigor sustenta toda a acção do colaborador da CMC, enquanto indivíduo, na relação com os outros ou com a Instituição. 

    Eficiência

    A eficiência consiste em utilizar os melhores meios para atingir os melhores objectivos. Está directamente relacionada com a boa gestão de todos os recursos materiais e humanos, bem como com a concretização dos objectivos estabelecidos para a CMC.

    Só através do cumprimento desta premissa conseguimos acrescentar valor à organização e assim levar as pessoas a sentirem-se altamente competentes e a adquirirem a percepção do seu valor como profissionais.

    Na regulação e supervisão do mercado, eficiência traduz-se na exigência de elevados padrões de conduta por parte de todos os seus protagonistas.

    A credibilidade do mercado é fundamental para o seu desenvolvimento e tem uma relação directa com a eficácia do seu órgão regulador e supervisor. É portanto fundamental para o mercado de valores mobiliários a existência de uma Comissão do Mercado de Capitais forte e eficiente.

    Princípios

    “Estamos Juntos”

    Este princípio valoriza o espírito de equipa dos colaboradores da CMC. Ninguém na CMC é mais importante do que todos. Nenhuma Direcção, por si só, é mais importante que qualquer outra. Todas são importantes.

    Todas as pessoas que trabalham na CMC têm o seu valor e a sua importância, porque o trabalho que realizam é determinante para fazer cumprir a visão e os objectivos da CMC.

    Todas as pessoas são líderes do seu próprio trabalho, da sua própria actividade e responsáveis por aquilo que executam.

    Cada colaborador representa a sua Direcção e a CMC. O produto do trabalho de um colaborador é o produto do trabalho da sua Direcção.

    “Pensar CMC”

    Pensar CMC significa um alinhamento de todos os colaboradores movidos pelo mesmo objectivo e pelos mesmos princípios. Todos colocam a CMC em primeiro lugar na sua vivência profissional e pessoal.

    Pensar CMC significa que toda a equipa tem que conhecer a razão de ser da CMC, o que mobiliza o Presidente a querer que esta seja uma referência no mercado financeiro e a estratégia definida para o seu posicionamento.

    As Pessoas são o capital mais importante da CMC, pois são elas é que realizam as actividades necessárias para a concretização dos objectivos da CMC.

    Todas as pessoas devem gostar do seu trabalho e, para isso, é necessário ter o maior domínio possível dos conhecimentos e das técnicas para melhor o executar.

    “Ter Alma de Supervisor”

    Compete à CMC, como autoridade de supervisão, garantir a integridade dos mercados de valores mobiliários, assegurando a protecção dos investidores contra manipulação, utilização de informação privilegiada ou outros abusos, bem como estimular a respectiva competitividade e eficiência.

    Tendo “Alma de Supervisor”, dos colaboradores da CMC se espera que contribuam para:

    • Estimular a formação da poupança e a sua aplicação em valores mobiliários;
    • Promover a organização e funcionamento regular e eficiente do mercado de capitais;
    • Assegurar a transparência do mercado de capitais e das transacções que nele se efectuam;
    • Proteger os titulares de valores mobiliários contra emissões irregulares e actos ilegais;
    • Garantir a divulgação de informação relevante para os agentes de mercado, e contribuir para a dinamização e implementação dos mercados financeiros em Angola.

    ​“Pensar Liderança”

    A liderança é um dos factores fundamentais e estratégicos para a concretização dos objectivos da CMC.

    A liderança é o motor do desenvolvimento do capital humano da CMC, fonte de inspiração e exemplo a seguir.

    O papel do líder na CMC é fazer crescer cada elemento da sua equipa, estimulando-o a querer ser cada vez melhor e mais profissional.

    O líder encoraja as pessoas a trabalhar com elevados níveis de eficácia, fazendo-os acrescentar valor ao trabalho.

    O líder deve ser necessariamente um modelo de referência, altamente orientado para a acção e para as pessoas. Ele é promotor de um ambiente dinâmico onde toda a equipa se sente motivada e empenhada em agir.

    O papel do Líder na CMC é ajudar as pessoas a transformarem-se, fazendo-as chegar ao mais alto nível das suas competências.

    A CMC tudo fará para que os seus líderes sejam inspiracionais, exercendo uma influência altamente positiva e energizante nos elementos das respectivas equipas.

    As equipas são o reflexo da capacidade e do talento do seu líder. Tal paradigma reforça a responsabilidade do líder na CMC.

    O papel dos colaboradores da CMC é ajudar o líder no processo da construção da sua área, tornando-a competitiva e altamente focada na concretização dos seus objectivos.

    “Cultura de Serviço”

    O objectivo de todos os colaboradores é satisfazer e, se possível, exceder as expectativas de todos os agentes envolvidos nos mercados de valores mobiliários: investidores (sejam eles institucionais ou individuais), emitentes, intermediários financeiros, outros protagonistas do sistema financeiro angolano.

    Em todas as interacções, é da responsabilidade dos colaboradores da CMC garantirem que evidenciam comportamentos percepcionados pelos interlocutores com elevado nível de excelência e que traduzem um elevado conhecimento da sua área de jurisdição. 

    Cada colaborador é uma peça fundamental na prestação de um serviço de qualidade. As interacções, sejam presenciais, por telefone ou por correio electrónico, são determinantes na percepção que os agentes externos possam ter acerca da qualidade do serviço que é entregue pela CMC. 

    Uma interacção menos boa de apenas um colaborador ou de apenas uma área interfere sempre na imagem generalizada que se constrói acerca da CMC.

    Ética Profissional

    Na regulação e supervisão do mercado de valores mobiliários, ser visto como uma entidade ética e com rígidos padrões de conduta é fundamental para gerar relações de confiança.

    A cultura que predomina na CMC influencia poderosamente o comportamento ético dos seus colaboradores.

    A ética e a competitividade são inseparáveis. 

    A honestidade é um valor intrínseco à ética, tal como a confiança.

    Os quadros da CMC regem-se por um Código de Conduta.

    Pensar Pessoas

    As pessoas que trabalham na CMC são o seu principal activo. A harmonia e a boa comunicação existente entre todas as equipas da CMC são uma das prioridades da sua gestão.

    Pensar Trabalho

    O trabalho é o contributo de cada colaborador para a concretização da missão e dos objectivos da CMC. O trabalho corresponde a todas as tarefas e tipo de relações que se estabelecem dentro da CMC. O trabalho implica a existência de competências específicas por parte de cada colaborador, para realizar cada tarefa e as actividades com eficácia e eficiência. É através do trabalho que se mede a produtividade de cada colaborador. O desenvolvimento do trabalho promove relações interpessoais que devem ser sempre harmoniosas, positivas e produtivas. O trabalho deve ser fonte de auto realização e de crescimento pessoal. O trabalho só é fonte de realização pessoal quando é feito com paixão.